Cavernas

by master

O Petar é caracterizado pela grande quantidade de cavernas que abriga, são mais de 350. Algumas com salões gigantes, dunas, cachoeiras, abismos de até 240 metros de pronfundidade, ‘quebra-corpos’ e escaladas. Cavernas ‘molhadas’ e ‘secas’. Opções não faltam para todos os gostos e preparos físicos.

Aqui está a caverna com o maior pórtico do mundo, a Caverna Casa de Pedra e também a Caverna de Santana, a maior do Estado de SP, com mais de 8 km de extensão e, considerada por muitos, a oitava maravilha do planeta por abrigar alguns salões com espeleotemas ‘divinos’.

Nem todas as cavernas são abertas à visitação. Isso faz com que o número excessivo de visitas não degradem esse rico e frágil ambiente.

Atenção: Somente 12 cavernas do PETAR estão abertas a visitação – Cavernas de Santana, Água Suja, Morro Preto, Couto, Cafezal, Alambari de Baixo e Ouro Grosso. Confira as normas de cada caverna em Emergencial.

Veja algumas das cavernas:

Para se visitar qualquer das cavernas do PETAR, é necessário e obrigatório estar acompanhado por um monitor local, é uma Norma da Unidade de Conservação.

  • Caverna de Santana:

Sem dúvida é a caverna mais linda do PETAR. Possuí cerca de 8km de extensão, com salões magníficos. É muito utilizada para aulas de Educação Ambiental e para fotografias. Nela estão os Salões das Flores, São Paulo, São Jorge, Takeupa e algumas imagens e curiosidades como o ‘Buraco do Segredo’, ‘Pata do Elefante’ e ‘Cabeça do Cavalo’. Muitos desses Salões são de visitação extensiva ou restrita.

Somente 800 metros abertos à visitação.

Está no Núcleo de Santana.
• Caminhada externa: Fácil / 5 min.
• Caminhada interna: Fácil / 2 hs

  • Caverna do Morro Preto:

Esta caverna tem um dos mais belos pórticos de entrada de caverna do PETAR. A imagem do seu mirante interno, vista da boca, na contraluz faz com ela torne-se um cartão postal do parque.

Em sua boca foi encontrado vestígios que ela servia de abrigo para o homem primitivo.

Está no Núcleo de Santana.
• Caminhada externa: Média / 15 min.
• Caminhada interna: Média / 1 hs

  • Caverna do Couto:

Esta caverna é praticamente um conduto de drenagem de águas provenientes da serra da Onça Parda.

É um conduto único de 600 metros que atravessa o morro, até sair do outro lado em outra boca. A visão da mata de dentro da caverna é algo espetacular. Tem ligação com a Caverna do Morro Preto (Travessia do Aborto – área de visitação extensiva).

Está no Núcleo de Santana
• Caminhada externa: Fácil / 5 min.
• Caminhada interna: Fácil / 1 hs

  • Caverna da Água Suja:

Para se chegar até ela é necessário utilizar a Trilha do Rio Betari, outro atrativo à parte. Ela é uma caverna gigantesca, com grandes salões e cortada por um rio.

Tem aproximadamente 1.800 metros de desenvolvimento, sendo 800 metros turísticos. O desafio é chegar até sua cachoeira interna. Um banho na escuridão o espera.

Está no Núcleo de Santana
• Caminhada externa: Médio / 40 min.
• Caminhada interna: Médio / 2 hs

  • Caverna do Alambari de Baixo:

Esta caverna proporciona uma das experiências mais emocionantes que o visitante pode levar do Petar. Sua entrada é gigantesca, com bela vista dos raios solares ao amanhecer. Um rio no seu interior dá a emoção desejada pelos aventureiros.

Está próxima ao Núcleo Ouro Grosso
• Caminhada externa: Fácil / 40 min.
• Caminhada interna: Médio / 2 hs

  • Caverna da Laje Branca (Fechada para visitação):

Seu pórtico é muito bonito pela altura (130 metros) e pelas gotas que caem do teto, grandes salões com dunas de areias enfeitam o seu interior. De 1.200 metros, 400 são turísticos.

Na sua boca é realizado o Rapel da Laje Branca (135 metros).

Está na região do Lageado
Caminhada externa: Médio / 1 hs
Caminhada interna: Médio / 1 hs

  • Caverna do Ouro Grosso:

É formada por uma seqüência de cachoeiras, sendo que algumas têm a necessidade de serem vencidas com a ajuda de cordas. A caverna possui vários poços com águas profundas que fazem com que o visitante tenha algumas intimidades com água em movimento.

Apenas um trecho de 200 metros encontrasse aberto à visitação.

Está no Núcleo do Ouro Grosso
• Caminhada externa: Fácil / 15 min
• Caminhada interna: Difícil / 2 hs

  • Caverna da Casa de Pedra:

Seu portal é o maior do mundo, cerca de 250 metros de altura. Ela é formada pelo Rio Maximiniano, que corta a montanha. Sua travessia é Restrita. Podendo somente ser feita a trilha que leva até sua boca. Vale a pena fazer a trilha, o final é surpreendente.

Está no Núcleo Casa de Pedra
• Caminhada externa: Díficil / 3 hs

  • Caverna Teminina:

As dolinas (aberturas no teto) que ela possuí tornam ela uma caverna muito diferente, exótica. Ótima para fotografias.

Está no Núcleo Caboclos
• Caminhada externa: Dificil / 2 hs
• Caminhada interna: Difícil / 2 hs

  • Caverna Cristal (Fechada para visitação):

Caverna pequena, de fácil acesso e que é considerada uma das mais ornamentadas do PETAR. Nela há centenas de espeleotemas raros. Localiza-se numa propriedade particular.

Está próxima ao Núcleo Casa de Pedra
• Caminhada externa: Fácil / 30 min
• Caminhada intern: Médio / 2 hs

  • Caverna Desmoronada (Fechada para visitação):

Uma das cavernas mais lindas do PETAR. Ela faz uma travessia numa montanha, dando de ‘cara’ para o Vale da Ilusão. Está localizada no Núcleo Caboclos. Os raios de luz que entram pela sua maior boca são de causar arrepios.

Está localizada no Núcleo Caboclos
• Caminhada externa: Média / 2 hs
• Caminhada intern: Médio / 1 hs

Share via
Copy link
Powered by Social Snap